DEUS É JUSTO AO JUSTIFICAR

Como está escrito: Não há um justo, nem um sequer. Não há ninguém que entenda; não há ninguém que busque a Deus. Todos se extraviaram e juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só [...]. Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus (Romanos 3.9-12,23).
Nos primeiros capítulos da Epístola aos Romanos, bem como nesses versículos acima, o apóstolo Paulo revela-nos que os homens, independente da raça, língua ou cor tem pecado contra Deus. Desta forma, todos nós merecíamos ser condenados à morte. E, como culpados, todas as pessoas carecem da providência de Deus para salvarem-se da condenação.
E foi exatamente isso o que aconteceu! Pois Deus, na sua infinita misericórdia, providenciou a porta de escape para o pecador através da fé em Jesus Cristo para todos aqueles que crêem no seu Nome. Assim, quando o ímpio aceita a Jesus como salvador ele é absolvido da culpa e declarado inocente.
Talvez, para muitos, esse ato soberano de Deus de tornar um pecador inocente unicamente pela fé, possa contrariar a Sua Palavra ou Justiça. Mas, através de um estudo sério da Palavra de Deus, vamos aprender que Deus supriu todas as exigências da Lei mediante a obra redentora de Cristo Jesus em favor do homem. Jesus tomou então nossa punição, morrendo em nosso lugar, para satisfazer a justiça de Deus. Entende-se então, que Deus é justo ao conceder ao homem a purificação e o perdão dos seus pecados.
E é pela fé em Cristo Jesus que somos declarados justo, pois a justificação é o: Ato, pelo qual o homem, passando do pecado ao estado de graça, se torna digno da vida eterna (Pequena Enciclopédia Bíblica, pág. 369). Desta forma, descobrimos no Santo Evangelho a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé (Rm 1.17).
Portanto, justificados, passamos a viver para Deus e não para o pecado, pois Cristo efetuou nossa redenção, ou seja, nos resgatou da escravidão do pecado e nos deu uma nova vida (II Co 5.17). E este novo viver, só alçamos porque Deus enviou ao Seu Filho Unigênito para propiciação pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus (Rm 3.25). Mas, tudo isso, Deus só opera em nós pela fé no Senhor e Salvador Jesus Cristo.
Gleison Elias Pereira.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Um pouco sobre o Círculo de Oração.

Fundo Musical em Pregações? Conheçam o perigo desse modismo.

Tragédia familiar: separação da cantora Lauriete