Alerta! Paganismo revelado na teologia da prosperidade.

Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom (Mateus 6.24).
Jesus escolhe uma palavra aramaica Mâmon para personificar um dos mais poderosos deuses pagãos de todos os tempos: o Dinheiro. O adjetivo Mâmon, deriva do verbo aramaico amân (sustentar) e significa amor às riquezas e dedicação avarenta aos interesses mundanos. Jesus orienta seus seguidores a investir suas vidas na conquista de bens espirituais agradáveis ao Senhor e adverte para a impossibilidade de se servir com lealdade a Deus e ao mesmo tempo amar o deus Dinheiro. Isso não quer dizer que Jesus seja contra os ricos e prósperos, mas, sim, que o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males (Gn 13.2; Ec 3.13; 5.10-19; 10.19; 1Tm 6.10). O dinheiro é para ser usado e as pessoas, amadas. A inversão desses valores tem sido a razão de muitas desgraças (Is 52.3; 55.1; Rm 4.4; 1Tm 5.18). [1]
Não há duvida, de que a teologia da prosperidade tem sido um desses grandes males causados por aqueles que têm entregado suas vidas a serviço desse ídolo pagão chamado dinheiro. Os avarentos pregadores dessa teologia da miséria espiritual iludem o povo com falsos ensinamentos de que todos devem ser ricos, possuir mansões, carros, empresas, terem muito dinheiro no banco e nunca ficarem doentes.
A teologia da prosperidade induz as pessoas à avareza, ao egoísmo, a serem gananciosas e consequentemente introduz encobertamente no coração dos incautos esses deus chamado Mâmon.
A palavra de Deus diz que a avareza é idolatria. Mortificai, pois, os vossos membros, que estão sobre a terra: a prostituição, a impureza, o afeição desordenada, a vil concupiscência, e a avareza, que é idolatria (Colossenses 3.5).
Abrem os olhos meus irmãos! E voltemos ao verdadeiro e simples Evangelho.
Afasta de mim a vaidade e a palavra mentirosa; não me dês nem a pobreza nem a riqueza; mantém-me do pão da minha porção de costume; para que, porventura, estando farto não te negue, e venha a dizer: Quem é o SENHOR? ou que, empobrecendo, não venha a furtar, e tome o nome de Deus em vão (Provérbios 30.8,9).
Somente a Deus Glória!

Nota:
[1] Novo Testamento, Edição de estudos, versão King James, notas de Rodapé do Evangelho de Mateus, Abba Press, 2008, páginas 14 e15.

Comentários

  1. A paz do Senhor Jesus, irmão Gleison!
    Fiquei muito feliz em ler o seu blog. Vamos orar para que o povo de DEUS esteja sempre separado de tais coisas que desagradam ao nosso DEUS. Que DEUS o abençoe e seja sempre contigo.

    Sds,

    Marcia Quartezani

    ResponderExcluir
  2. Gleison

    Este seu post tocou numk ponto muito importante.

    Não sirvo a Deus em troca de bens materiais.

    Sirvo a Deus porque Ele me amou a ponto de mander seu único Filho ao mundo para morrer numa cruz em meu lugar.

    Isto não tem preço. Cristo morreu na cruz em meu lugar.

    Não preciso de dinheiro ou bens materiais. Deus me dá o que Ele quizer. Ele já fez muito por mim.

    O que devo fazer, e confesso acho difícil, é amar ao próximo como a mim mesmo.

    Parabens pelo seu blog irmão Gleison

    ResponderExcluir
  3. Irmã Marcia,

    Eu também fiquei muito feliz em receber sua visita neste espaço. Seja sempre bem vida! Vamos orar sim minha irmã, para que o povo de Deus seja despertado nestes últimos dias a fugirem de tudo que desagrada ao Senhor.
    Fique na Paz!

    ResponderExcluir
  4. Irmão Laguardia,

    É sempre um prazer e uma honra ter sua participação aqui.

    Você disse uma coisa certa! Nós cristãos não devemos servir a Deus por interesses pessoais nem materiais.

    Também, não podemos servir a Deus por medo do inferno, nem culpa ou obrigação, mas devemos servir ao nosso Senhor pela alegria e profunda gratidão pelo que Ele fez por nós, ou seja, morreu na cruz para nos dar vida eterna. Aleluia!

    Na verdade nós fomos criados para servir a Deus. Nós o amamos a ele porque ele nos amou primeiro (1 João 4.19).

    Portanto todos os cristãos devem servir a Deus pelo que Ele é. E Ele é o criador dos céus e da terra; Ele é o autor da nossa salvação; Ele é onipotente, onipresente e onisciente; Ele é o nosso Pai celestial; Ele é tudo em nossas vidas e sem ele não somos nada. Glória ao Nome do Senhor Jesus Cristo!
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  5. Fabricio Coitinho20 de maio de 2009 04:46

    Reverendo, A Paz esteja Contigo.

    Excelente este comentário sobre o referído assunto, temos que ficar em alerta sobre indivíduos que se dizem pregadores do evangelho e andam enganando o povo de Deus. Precisamos estar verdadeiramente respaldados na PALAVRA a fim de que não venhamos a ser levados por qualquer vento de doutrina. Continue sendo boca de Deus para o povo.

    Sds Pentecostais!!!

    ResponderExcluir
  6. Postagem interessante!!

    Vamos despertar e nos abster de tais coisas.

    ResponderExcluir
  7. Nobre Fabrício,

    Infelizmente não são poucos os pregadores que se desviaram do verdadeiro Evangelho, pois as mensagens desses falsos obreiros são baseadas na teologia da prosperidade, na auto-ajuda e no triunfalismo.

    Somente o arrependimento e o retorno ao verdadeiro e santo Evangelho poderá curar essas pessoas desse mal.

    Sola Scriptura!

    ResponderExcluir
  8. Meu caro Marllon,

    Obrigado pela sua participação! Você está certo meu amigo, é imperioso que o povo de Deus se abstenha desse mal.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  9. Bem-aventurado aquele que lê e bem-aventurados os que ouvem as palavras desta profecia e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.
    Apocalipse 1:3

    visita:
    http://aespadadodeus.blogspot.com/

    **Palavra de Deus na sua língua**

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Caro internauta, fique à vontade para expressar suas críticas, sugestões, complemetos ou correções. Deus te abençoe!

Postagens mais visitadas deste blog

Um pouco sobre o Círculo de Oração.

Fundo Musical em Pregações? Conheçam o perigo desse modismo.

Tragédia familiar: separação da cantora Lauriete