Contradições do Papa Bento XVI

Foi noticiado no inicio desta semana, em vários veículos de comunicação, que o Papa Bento XVI deixou muito claro que a Igreja não pode buscar o poder, mas deve concentrar-se no anúncio de Cristo, ainda que isso implique o martírio. Esta declaração foi expressa na Mensagem para o dia missionário mundial 2009, que este ano tem como tema "As nações caminharão à sua luz" (Ap 21, 24).

No texto, publicado no dia 5 de setembro pela Sala de Imprensa da Santa Sé, o pontífice assegura que "a Igreja não age para ampliar o seu poder ou reforçar o seu domínio, mas para levar a todos Cristo, salvação do mundo".

Quando se lê sobre a referida declaração, percebe-se que a mesma é levemente ambígua. Pois afinal, de que poder Bento XVI se referia? De um poder espiritual ou secular? De qualquer forma, independente de que poderio se referia o pontífice, é sabido que essas suas palavras e os fatos registrados em vários séculos de história da igreja católica se contradizem.

Se em sua declaração, o Papa estivesse se referindo ao poder secular ou temporal, a contradição residiria no fato de que por séculos a igreja romana dominou os costumes, a cultura e a crença em várias partes do mundo. Por exemplo, durante o feudalismo, a referida Igreja era a maior senhora feudal da época; a mesma também promoveu a criação do Sacro Império, onde Igreja e Estado eram casados; e enviou várias expedições de caráter "militar", denominada Cruzadas, em direção a cidade de Jerusalém e muito mais. Recentemente foi visto em nosso país a investida da igreja católica em influenciar o estado e a nossa sociedade através do acordo, recentemente firmado, entre o Brasil e o Vaticano. Afinal, isso não seria uma busca pelo poder secular?

Ainda, caso Bento XVI estivesse dito que a Igreja não pode buscar o poder espiritual, a contradição seria ainda maior, ou seja, o mesmo estaria se contradizendo com o maior e único Manual de regra e fé de toda cristandade – a Bíblia Sagrada. Pois, ao contrário do poder secular, a Bíblia recomenda sim a busca pelo poder espiritual. E, isso fica evidente nas próprias palavras do Senhor Jesus que recomenda: “E eis que sobre vós envio a promessa de meu Pai; ficai, porém, na cidade de Jerusalém, até que do alto sejais revestidos de PODER,Lucas 24.49”. Ainda, Jesus disse em Lucas 10.19: "Eis que vos dou PODER para pisar serpentes e escorpiões, e toda a força do inimigo, e nada vos fará dano algum. O apóstolo Pedro em sua primeira epístola reforça essa verdade escrevendo o seguinte: Se alguém falar, fale segundo as palavras de Deus; se alguém administrar, administre segundo o PODER que Deus dá; para que em tudo Deus seja glorificado por Jesus Cristo, a quem pertence a gloria e poder para todo sempre. Amém, I Pedro 4.11” (Ênfase minha).

Somente a Deus Glória

Pb. Gleison Elias Pereira

Comentários

  1. Ah sim, e nós protestantes são corretos, nunca fizeram burrada né rs.

    Toda instituição tem suas falhas e suas burradas, principalmente referindo-se a poder quando a mesma cresce, sabe pq? pq instituições são formadas por pessoas, e pessoas são falhas, beeem falhas mesmo.

    abs

    ResponderExcluir
  2. Prezado Thiago,

    Sem dúvida, pessoas e instituições são sujeitas a cometerem falhas, principalmente quando se perdem o foco principal que deve ser em Jesus Cristo e na sua Palavra. Todavia, isso não é motivo para ninguém permanecer no erro.

    A solução para aqueles que se desviam do verdadeiro evangelho e passam a amar o presente século, ainda continua ser o arrependimento e uma volta ao primeiro amor.

    Obrigado por sua participação!

    Um abraço.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Caro internauta, fique à vontade para expressar suas críticas, sugestões, complemetos ou correções. Deus te abençoe!

Postagens mais visitadas deste blog

Um pouco sobre o Círculo de Oração.

Fundo Musical em Pregações? Conheçam o perigo desse modismo.

Tragédia familiar: separação da cantora Lauriete