FALANDO DE BEIJA-FLORES

Saudações! Mais um excelente texto (abaixo) que faço questão de postar aqui para o seu despertamento espiritual. Recomendo sua leitura! A autoria é do experiente pastor e conferencista Geziel Gomes. É uma excelente reflexão. Tenha uma boa leitura!


FALANDO DE BEIJA-FLORES


Pr. Geziel Gomes


Certamente todos os meus amados e amáveis leitores hão de comigo concordar: o beija-flor é uma linda ave! Já se disse que entre todos os seres vivos, é o beija-flor o mais belo quanto à forma e o mais esplêndido quanto à sua coloração. Segundo especialistas, as cores de todas as pedras preciosas acham-se nele representadas.

Tradicional e popularmente conhecido como "máquina de voar", o rutilante beija-flor pertence à família Trochilidae, à qual se integram mais de 300 espécies, uma das quais chega a ser a menor ave do mundo, mais precisamente o beija-flor Abelha.

Existem algumas notas curiosas relacionadas com o beija-flor. Além de ser encantadora e de brilho intenso, é a única ave capaz de voar para trás. Não somente isto, é capaz, também, de permanecer "parada" no ar quando em pleno vôo.

Dependendo da espécie, o beija-flor chega a bater as asas mais de 70 vezes por segundo e disso resulta um som semelhante a um zumbido.

Muitas pessoas ficam deslumbradas diante do efeito furta-cor de suas penas, obtido pela passagem de luz através das estruturas iridescentes que elas possuem.

Os beija-flores enfrentam adversários muitas vezes maiores que eles próprios. Costumam permanecer sozinhos a maior parte do tempo. Eles se alimentam 10 a 15 vezes por hora. Sua abundante energia é obtida primariamente do néctar das flores.

Algumas espécies chegam a visitar cerca de 2000 flores por dia. Ocasionalmente se alimentam de pequenos insetos, aranhas e pólen, garantindo assim proteínas para suas estruturas musculares.

Além do bico, eles utilizam sua comprida língua para sugar o néctar das flores.

Certamente todos nós já vimos o seu voar incessante, visto que nunca se detém na mesma flor. "Os vôos febris do beija-flor são tão rápidos que lhe permitem aparecer e desaparecer num instante sem se saber de onde veio e para onde foi".

Deixando-me conduzir ao terreno da simbologia, vejo que no meio do Povo de Deus existem muitos beija-flores.

São crentes dotados de preciosas qualidades, pessoas cheias de talento, vidas plenamente utilizáveis por Deus, mas que passam o tempo voando e voando e voando.

Dá pena contemplar os "irmãos voadores", os "turistas evangélicos", os eternos visitadores de igrejas.

São pessoas que nunca fizeram de sua Igreja o seu lar espiritual.

Conhecem inúmeras árvores, mas com nenhuma se comprometem.

Agora existem até os membros de igreja virtuais. Sinal dos tempos, por certo!

Tudo que os beija-flores fazem é sugar o néctar das flores. Nada mais. E o fazem com o bico e com a língua. Quão torturante é para os líderes da Obra o lidar com esses beija-flores bicudos e linguarudos.

Muitos filhos de Deus não querem compromisso com sua igreja, não possuem um pastor, jamais foram discipulados. Basta-lhes o néctar dos "cultos de avivamento”.

Vivem numa corrida louca em busca da "voz de Deus". Sobem montes na tentativa de extraírem uma "revelação". E, de tanto voarem, terminam engolindo insetos, aranha e alguns até mesmo sapos.

Como os beija-flores naturais, eles param enquanto voam. Não avançam. Nunca prosperam. Não crescem. Jamais amadurecem.

Prefiro aqueles que andam mais devagar, mas não voam para trás. Esse vai-e-vem ofegante e triturador vai fazer os beija-flores espirituais ficarem como os naturais: seis meses ativos, seis meses hibernados.

É fácil identificar esses colibris. Estão sempre investigando, para saber onde cantores famosos cantarão, onde pregadores vip pregarão, onde bandas híbridas se apresentarão. E assim procurar se deleitar com o néctar, não somente dos cultos, mas agora também dos shows.

Graças a Deus pelos crentes fiéis, que "não deixam sua congregação, como é costume de alguns", Hb 10.25.

Graças a Deus pelos filhos prudentes que têm ouvidos para ouvir e atender a voz do Pai Celestial.

Graças a Deus pelos obreiros que ensinam as pessoas a SEGURIEM o Mestre, e não as acompanharem aonde quer que vão, para viverem como satélites e afilhados espirituais.

Já existem muitos discípulos e clones de obreiros volúveis e vaidosos.

Precisamos, agora, de imitadores de Cristo, que não mudem de igreja quando houver mudança de pastor; que não mudem de congregação, quando houver troca de dirigente; que não acompanhem o(a) levita, quando forem deslocados por ordem superior.

Precisamos de crentes maduros, que não sejam tutelados por apelos de programas radiofônicos levianos. Que não "voem" atrelados a líderes carismáticos que os comandam via Orkut. Que não deixem de orar porque um pré-fanático lhes disse "tudo o que o Senhor falou".

Graças a Deus pelos rutilantes beija-flores com que Deus ornamentou a fauna deste Planeta.

Mas que eles nos bastem, não sendo necessário que também tenhamos colibris espirituais.

Que o néctar de Deus seja absorvido por quem serve ao SENHOR com fidelidade, compromisso e perseverança, sem parar enquanto voa – e sem jamais voar para trás, "pois se o justo recuar a minha alma não tem prazer nele", disse o Criador dos beija-flores da fauna e das águias da Igreja militante.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Um pouco sobre o Círculo de Oração.

Fundo Musical em Pregações? Conheçam o perigo desse modismo.

Tragédia familiar: separação da cantora Lauriete