Um crente pode ler livros de heresias, satanismo, demonismo, espiritismo etc?

Em outra ocasião, aqui mesmo no Blog, eu havia debatido com algumas pessoas sobre um tema parecido. Na época, um irmão comentou que ler todo tipo de obras (ocultista, espírita, gnosticismos etc), mas nunca se deixou corromper por esse tipo de literatura. Em resposta, comentei que esse tipo de atitude talvez não prejudicasse a ele, mas poderia ser fatal para a vida espiritual de muitos cristãos nos dias de hoje por razões obvias que passo a descrever nos parágrafos a seguir.

Uma pessoa que tem maturidade espiritual pode e deve ter em sua biblioteca pessoal até mesmo o evangelho segundo Alan Kardec e muitas outras obras espúrias, para ler, conhecer, e formar uma opinião própria sobre determinado assunto. Eu não vejo nenhum problema nisso. Contudo, essa não é a realidade do nosso povo, ou seja, a maioria dentre nossos irmãos em Cristo não possui conhecimento suficiente nem daquilo que é essencial para alicerce da fé. Por isso, a leitura de livros contrários as verdades das Sagradas Escrituras poderiam confundir crentes imaturos e despreparados.

Para esses, cujos alicerces da vida cristã não estão adequadamente formados, este tipo de literatura causa “envenenamento” sim. E isso, sem falar daqueles que devido a preguiça mental, a indolência e o esfriamento espiritual tornaram-se negligentes para o aprendizado da Palavra de Deus. Tais pessoas precisam ler primeiramente obras que reforcem o conhecimento nas doutrinas bíblicas, e nada mais, enquanto não se estruturarem espiritualmente! O apóstolo Paulo chama a nossa atenção sobre esta mesma verdade quando escreveu: “ainda estais precisando de que alguém vos instrua mais uma vez quanto aos princípios elementares da Palavra de Deus. Voltastes a necessitar de leite, quando já devíeis estar recebendo alimento sólido! Ora, quem precisa se alimentar de leite ainda é criança, e não tem experiência no ensino da justiça. No entanto, o alimento sólido é para os adultos, os quais, pelo exercício constante da fé, se tornaram capazes de discernir tanto o bem quanto o mal, Hebreus 5.12-14 (KJA)”.

Desta forma, sendo esta a situação em que se encontram muitos crentes hoje, prefiro convidá-los a saciarem a sede de conhecimento diretamente de uma fonte pura e verdadeira – a Sagradas Escrituras, e, claro, também em obras que verdadeiramente reforcem o aprendizado bíblico. Agora, como já disse anteriormente, para quem é maduro, não há problemas em examinar outros tipos de literaturas, muito pelo contrário, é até bom para ampliar a visão e o argumento sobre diversos temas.

Outra coisa, o livro de Atos dos Apóstolos relata um episódio interessante, onde diversos novos convertidos de Éfeso, sentiram a necessidade de queimar seus livros de ocultismo após crerem no Evangelho que Paulo pregava. “Muitos dos que creram vieram confessando e denunciando publicamente as suas próprias obras. Também muitos dos que haviam praticado artes mágicas, reunindo os seus livros, os queimaram diante de todos. Calculados os seus preços, achou-se que montavam a cinqüenta mil denários, Atos 19.18,19”. Assim, a atitude que esses novos crentes tiveram em queimar aqueles livros foi importante para eles, pois através deste ato demonstraram publicamente que a vida deles estava transformada por Jesus Cristo. Daí, entendo que não haveria necessidade de que eles guardassem esses livros para um posterior exame com a finalidade de reter alguma coisa boa, porque não havia nada de bom para ser retido. Portanto, essas obras precisariam mesmo ser queimadas e o apóstolo Paulo não fez nenhuma objeção quanto a isto.

Penso que o argumento de que devemos ler de tudo não é cabível em muitas situações. Sinceramente, eu não creio que Paulo quis dizer que podemos ler de tudo quando escreveu: “Examinai tudo. Retende o bem” (1 Ts 5.21). Na verdade, quando observamos o contexto imediato ou versículo anterior, podemos entende também que ele se referia ao exame de profecias e não a leituras pessoais. E, esse argumento se corrobora mais ainda quando lemos os referidos versículos em outras versões, tais como essas:

1) “Não desprezeis as profecias, mas ponde tudo à prova. Retende o que é bom, 1 Ts 5.20,21” (ARIB);

2) “Não desprezeis as profecias; julgai todas as coisas, retende o que é bom, 1 Ts 5.20,21” (ARA);

3) Não trateis com desdém as profecias, mas, examinai todas as evidências, retende o que é bom, 1 Ts 5.20,21” (KJA);

4) Não desprezeis as profecias. Examinai tudo: abraçai o que é bom, 1 Ts 5.20,21” (Versão Católica);

5) Não desprezem as profecias, Examinem tudo, fiquem com o que é bom, 1 Ts 5.20,21” (NTLH).

Portanto, como não é meu objetivo debater assuntos relacionados a exegeses e interpretações do texto bíblico, concluo dizendo que o importante é continuamente crescermos na “graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo... (II Pedro 3.18).

Comentários

  1. de pleno acordo com o senhor, hoje há muita informação,devido a isso o indivíduo ao invés de se informar acaba confuso e até retardando seu discernimento podendo até ficar desnorteado

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Caro internauta, fique à vontade para expressar suas críticas, sugestões, complemetos ou correções. Deus te abençoe!

Postagens mais visitadas deste blog

Um pouco sobre o Círculo de Oração.

Fundo Musical em Pregações? Conheçam o perigo desse modismo.

Tragédia familiar: separação da cantora Lauriete