Postagens

Mostrando postagens de Março 6, 2011

Bento XVI e a culpa coletiva judaica pela morte de Jesus (Parte I)

Imagem
Recentemente, uma notícia vinda do “mundo religioso” ganhou por quase uma semana notoriedade em todo ocidente através dos principais telejornais e portais da internet. Tratava-se de uma declaração do Papa Bento XVI exonerando os judeus da culpabilidade pela morte de Jesus. Posição esta que o pontífice expressou no segundo volume de seu mais novo livro publicado nesta semana sob o título “Jesus de Nazaré”.
A notícia causou reações diversas e debates de internautas sobre a legitimação dessa declaração, o que é compreensível entre pessoas sem nenhuma base bíblica, teológica e histórica sobre o assunto. O que causaria estranheza seria ver teólogos e estudiosos debaterem um assunto já resolvido nas Sagradas Escrituras. Assim, em uma segunda postagem tratarei sobre este assunto a luz da Palavra de Deus. Por ora, direi apenas que a culpa pela morte do Senhor Jesus ultrapassa as barreiras da nacionalidade, etnia e da religiosidade. Desta forma, irei por enquanto, analisar nesta postagem a verd…

Alerta! Paganismo revelado na teologia da prosperidade.

Imagem
Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom (Mateus 6.24). Jesus escolhe uma palavra aramaica Mâmon para personificar um dos mais poderosos deuses pagãos de todos os tempos: o Dinheiro. O adjetivo Mâmon, deriva do verbo aramaico amân (sustentar) e significa amor às riquezas e dedicação avarenta aos interesses mundanos. Jesus orienta seus seguidores a investir suas vidas na conquista de bens espirituais agradáveis ao Senhor e adverte para a impossibilidade de se servir com lealdade a Deus e ao mesmo tempo amar o deus Dinheiro. Isso não quer dizer que Jesus seja contra os ricos e prósperos, mas, sim, que o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males (Gn 13.2; Ec 3.13; 5.10-19; 10.19; 1Tm 6.10). O dinheiro é para ser usado e as pessoas, amadas. A inversão desses valores tem sido a razão de muitas desgraças (Is 52.3; 55.1; Rm 4.4; 1Tm 5.18). [1] Não há duvida, de que a teologia da …