terça-feira, 26 de agosto de 2008

VALORIZANDO COISAS PEQUENAS

A Paz do Senhor queridos irmãos!

Neste momento, quero aqui compartilhar com vocês uma mensagem que o Senhor tem colocado no meu coração. Ela fala da importância de valorizarmos as coisas que aparentemente julgamos pequenas ou sem nenhum valor.
Assim, quero começar dizendo que todos nós, em vários momentos de nossas vidas, desejamos realizar ou alcançar grandes coisas. E é nesta linha de desejo que acabamos desprezando as pequenas coisas que nos parecem insignificantes, mas são essenciais para a vida. Por vezes, desejamos realizar grandes feitos, desejamos alcançar grandes posições, desejamos adquirir muito dinheiro, desejamos fazer grandes viagens, desejamos reconhecimento e muitos outros negócios que constantemente, nós, como homens sonhadores, buscamos alcançar.
A realização dos nossos grandes desejos e objetivos está alicerçado no reconhecimento das pequenas coisas que nos rodeiam. Desprezar aquilo que nos parece simples, pequeno ou aparentemente de nenhum valor é condenar ao desmoronamento nossos grandes projetos de vida.
A Bíblia Sagrada, como revelação especial de Deus para a humanidade, nos ensina este princípio. Jesus disse que a pequena oferta de uma pobre viúva tornou-se grande diante de Deus (Leia Mc 12.41-44). E isso não pelo valor daquela moeda, pois sua oferta valia apenas meio centavo – era a menor quantidade de dinheiro dos que naquele dia ofertavam. Mas, a oferta daquela viúva tornou-se a maior porque ela não desprezou o pouco que tinha. E por valorizar as pequenas coisas sua atitude ficou registrada nos oráculos sagrados de Deus.
Quando Gideão levantou-se com uma grande multidão de homens para livrar o seu povo das mãos dos midianitas, o Senhor lhe dissera que havia muita gente o acompanhando e que o mesmo só subiria com trezentos homens. Assim, Gideão não desprezou o pouco ou a pequena quantidade de soldados que lutaria ao lado dele, mas obedecendo a Palavra do Senhor venceu de forma miraculosa aquela peleja.
Por investir na obra de Deus uma pequena quantidade de farinha, a panela e a botija da viúva de sarepta sempre estiveram abundantes (1Rs 17.10-16). Através de Eliseu, Deus multiplicou grandemente uma pequena quantidade de azeite que uma viúva desesperada tinha (II Rs 4.1-7). Do menor e mais simples moço de uma família inteira, Deus fez um grande rei (1Sm 16. 11-14). Diante de grandes quantidades de sábios, doutores e pessoas habilidosas da época, Jesus preferiu escolher um pequeno grupo de doze simples galileus, homens indoutos e cheios de fraquezas, para inflamar o mundo de então com a mensagem do evangelho (At 17.6). A obra de Deus é realizada em cima de coisas pequenas!
No entanto, a responsabilidade de quem é fiel no pouco não difere de quem é fiel no muito (Mt 25.14-30). Se somos fiéis no muito devemos também ser no pouco! Deus nos chama à responsabilidade e ao cuidado daquilo que reputamos por pequeno demais para nós, porque somente assim ouviremos está palavra: “... Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor” (Mt 25.21). Invista o pouco que Deus te deu hoje e receberá ainda mais no futuro!
No segundo milagre da multiplicação de peixes e pães Jesus nos mostra o que Deus pode fazer com o pouco que temos nas mãos (Leia Mt 15.32-39). No inicio os discípulos retrucará ao Senhor dizendo que precisariam de grandes quantidades de pães para alimentar aquela multidão. Jesus então pergunta: “Quantos pães tendes?” E eles desanimadoramente disseram: “Sete, e uns poucos de peixinhos”. Aqueles discípulos ainda não entendiam, e muitas das vezes também nós não entendemos, que é do pouco que Deus suscita o muito. E foi, mediante aquele grande milagre – na valorização do pouco, que toda aquela multidão “comeram e se saciaram; e levantaram, do que sobejou, sete cestos cheios de pedaços.” (Mt 15.37).
O Senhor usa as coisas pequenas e o pouco que você tem para realizar grandes obras. Não devemos desprezar o que nos parece ser pequeno. Portanto, é no pouco tempo que temos diariamente que o Senhor quer que nos preparemos para sua obra. É com o pouco recurso que temos nas mãos que devemos investir agora no Reino de Deus. É com o pouco conhecimento ou habilidade que você tem que Deus realizará grandes feitos na terra.

2 comentários:

Pr.Francisco Carvalho disse...

eu pr.francisco li e digo aquilo que não e nada para o homem e tudo para Deus

Gleison Elias Pereira disse...

Pr. Francisco, a Paz do Senhor.

Essa é uma verdade que não podemos ignorar.
Obrigado pelo comentário.
Abraços!

Postar um comentário

Caro internauta, fique à vontade para expressar suas críticas, sugestões, complemetos ou correções. Deus te abençoe!

 
Powered by Blogger