sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Estou chocado com tanta indiferença

Hoje tive a certeza de que a indiferença é o pior e mais brutal sentimento que uma pessoa pode nutrir contra seu semelhante. Ser indiferente ante as necessidades do próximo é muito mais do que um estado de frieza, apatia, negligência, insensibilidade ou inconsciência mórbida. A indiferença é a prova incontestável da completa degradação moral e social que incorre toda nossa sociedade, bem como a total destituição do que ainda resta da dignidade humana.

Sei que o tom inicial destas minhas palavras soa como revolta e indignação, mas não poderia ser diferente depois que assisti o vídeo que segue abaixo. É chocante e muito triste as imagens que você verá agora, mas talvez seja necessário assisti-lo para que entenda a gravidade desse sentimento egoísta e defeituoso que condeno aqui.

O vídeo mostra imagens de uma menina de dois anos de idade atropelada por dois veículos na China. Ela provavelmente teria chances de sobreviver se fosse socorrida imediatamente, mas infelizmente isso não aconteceu porque a mesma foi ignorada por várias pessoas que passaram ao lado do seu corpo quando se encontrava ainda viva. Todas essas pessoas ficaram terrivelmente indiferentes diante da dor e  da necessidade daquela garotinha que acabou morrendo em decorrência de muitos ferimentos. É revoltante!

Se não conseguir visualizar o vídeo clique aqui


Temo que essa seja a realidade cultural e social da china hoje. Claro que eu não posso generalizar, mas um país como esse que coloca a sua economia e o regime opressor que ali governa acima do seu povo, certamente tem contribuído para o surgimento de pessoas que vivem exclusivamente para satisfação dos seus próprios interesses sem se importar com ninguém. São pessoas tão ocupadas com seus negócios que são incapazes de socorrer uma menina indefesa. Seres humanos anestesiados para não sentirem compaixão uns dos outros, vivendo cada um por si!

Lamentavelmente, essa é também a realidade de vários outros países do mundo nos dias de hoje, especialmente no ocidente. Aqui nossos filhos são ensinados desde cedo a se prepararem para superar os outros, para encarar o próximo como concorrente e serem os melhores em tudo como requisito primordial para a sobrevivência. Não há duvida que isso tudo é resultado do capitalismo selvagem somado com o nojento ensino da teoria da evolução que há mais de dois séculos vem inculcando na mente de nossas crianças que na “Natureza só os mais fortes sobrevivem e que as espécies evoluem para estágios superiores”. A consequencia disso tudo se observa no esfriamento do amor ao próximo enquanto a indiferença vem se alastrando até mesmo nas próprias famílias.

Ainda bem que nem tudo está acabado, ainda há esperança para a nossa sociedade. Há um caminho por excelência no qual todos precisam passar. Um caminho de amor, abnegação, altruísmo e desprendimento de coisas efêmeras com vistas no que há de mais valor neste mundo: a vida humana. Esse caminho é Jesus! Ele disse de si mesmo: “Eu sou o caminho, e a verdade e a vida, João 14:6”.

Há quase dois mil anos atrás um homem cheio de defeitos e pecados chamado Paulo conheceu este caminho. Sua vida nunca mais foi a mesma. Desde então ele viveu o resto da sua vida procurando agradar a Deus e ao próximo. Seu amor pelas pessoas levou-o a evangelizar toda a Palestina, a Ásia menor e ainda parte da Europa. Ele fez o que inúmeras agencias missionários todas juntas nos dias de hoje ainda não conseguiram fazer. Paula havia aprendido com Jesus a nunca ser indiferente com as pessoas. Ele disse certa vez:

Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria. E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria. O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal, 1 Coríntios 13:1-6.

Amar sim! Indiferença nunca.

0 comentários:

Postar um comentário

Caro internauta, fique à vontade para expressar suas críticas, sugestões, complemetos ou correções. Deus te abençoe!

 
Powered by Blogger